PQP, Marvel Cagona Arrega Para Justiceiros Sociais! (De Novo…)

Esta semana saiu a notícia de que a comic shop americana Midtown Comics estava vendendo uma revista com duas capas exclusivas do desenhista J. Scott Campbell, para o novo volume (o #25º ou #26º, sei lá…) da revista do Homem Mulher de Ferro, a  Invincible Iron Man nº 1, estrelando a”jênia” de 15 anos, a famigerada Riri Williams como o/a novo/a Homem Mulher de Ferro (eeeeer… tá foda essa merda, mas, acho que vocês entenderam) depois que  Tony Stark se fodeu … bem, isso ainda não foi publicado e nem sinal de conclusão a vista, já que o final de  Civil War II vem sendo protelado e protelado sem nenhuma definição de data para lançamento – na verdade, ao que parece, está agendado para 28/12 o lançamento da ultima edição, se bem que, né… O que a Marvel vem escrevendo ultimamente, não se lê (e isso, literalmente, em se tratando de 80% da sua linha de merda atual), mas, prossiga….

Nem precisa dizer que ao tomar conhecimento da tal capa, os SJW´s começaram a fazer um puta barulho do caralho, especialmente por conta da versão em que a Riri empoderada tombada e lacradora aparece mostrando o umbigo, o que, pra essa corja, se trata de fetichização e objetificação do corpo feminino e outras falácias de sempre. Começou a rolar uma discussãozinha babaca no Twitter do desenhista  com a mesma chorumela de sempre das feminazis e  Black Hitlers gringos metendo o pau na imagem, como você pode ver abaixo com alguns dos tweets mais estressadinhos:

(Se você não sabe um básico de inglês, bem… só lamento, hahahaha)

Tá, vou ser legal com vocês, caros Contronautas: basicamente o que essa putada tá estrilando é por – na visão obtusa, tacanha e tapada deles – a Empoderada está muito sexy na imagem e a sua compleição física, nada condizente com a de uma menina de 15 aninhos mesmo tendo cada cavalona por ai, que, meeeeeeu... e que isso foi feito com o único propósito de vulgarizar essa personagem tão clássica, importante e respeitável, cuja imagem não pode ficar tão blasfemamente comprometida por mero capricho de um desenhista amador e punheteiro como esse tal de J. Scott Campbell. Afinal, quem esse filho da puta pensa que é, ora, porra??

A tal imagem (que de “vulgar” e “sexualizada” tem nada) despertou a ira dos justiceiros sociais e defensores de personagens ficcionais minori(O)tários e – como sempre acontece nesses casos –  os levaram a fazer MAIS UMA campanha de hashtags inúteis:

No início, Campbell parecia estar ignorando as lamúrias da patuleia, até que apareceu o Erik Larsen para tomar as dores do amigo (como, aliás, também sempre acontece nessas tretas de Twitter e Facebook), daí, ele decidiu abrir o bico e dar umas cutucadas nesses filhos da puta:

E por aí vai (porra, é um saco ficar copiando e colando esses tweets)…

E, bem, vocês podem ver a merda toda na íntegra aqui: https://twitter.com/JScottCampbell, aqui: https://twitter.com/MizCaramelVixen e aqui https://twitter.com/ErikJLarsen/status/788817547457986560?ref_src=twsrc%5Etfw

sem título1
Selo Riri Williams de hashtag de merda

Até aí, nada de mais, já que vagabundo SJW está SEMPRE a reclamar de tudo o que lhes chamem a atenção. Estejam eles a par do assunto ou não, o importante é reclamar! E se aparecer. A parte foda vem agora, pois, mais uma vez, esses vermes venceram, como aliás, vem acontecendo em todas as vezes em que boquejaram suas demandas. Já que, não demorou muito para que a Marvel Comics e a Midtown Comics postarem um anúncio de que a tal capa variante tão profana e ofensiva não estaria mais a venda, para a felicidade dos defensores da moral e dos bons costumes das heroinazinhas de papel. Yeeeeeeeebaaa!!

Agora, chegamos à parte que você tava esperando depois de ver tanto chorume, que é quando malharemos com toda nossa categoria e moral mais essa bestialidade sem sentido e a covardia sem perdão dessas duas empresas ao se submeter bovinamente aos desmandos e abusos de uma minoria barulhenta e indigesta que vem influenciando negativamente cada vez mais toda a indústria do entretenimento e da arte, com suas palavras de ordem e exigências por censura, tudo em nome de um moralismo politicamente correto, rasteiro e inescrupuloso. Pois, qualquer um que acha que este desenho é sexualizar uma menina de 15 anos tem é merda de cachorro na cabeça.

Não vai demorar pra vir um filho da puta ou uma vaca me dizer:“Ai, Imperador, você não sabe de nada, seu viadinho… é claaaaro que essa imagem é mooouuuito vulgar e objetifica o corpo feminino, além de fazer apologia à pedofilia, afinal, ela só tem QUIIIIIIIIIIIIIIIIIIINZEEEE ANOOOOOS!! Vocês, nerds nojentos só querem saber de defender a sua punhetinha, seus lixos!!” Bem, em primeiro lugar, né, NERD É A PUTA QUE TE PARIU, ARROMBADO/A. Em segundo lugar, isso é uma puta de uma besteira.Eles estão loucos porque a personagem é de “menoridade”. E…? Isso  agora é automaticamente hiper sexualização e exaltamento à pedofilia? É  um desenho muito simples e tem nada de pornográfico nele, só porque a personagem (que praticamente nem estreou, mas, que já passei a odiar, só por representar o que há de pior no fandom de quadrinhos e editorial do momento)  está vestindo uma mini blusa e o máximo de pele que aparece do pescoço pra baixo da boneca são seus braços e o umbigo. Porra, todos os dias quando vou trabalhar, vejo adolescentes a caminho da escola vestindo roupas muito mais curtas do que essa  e no entanto, não vejo feminista ir bostejar que elas estão vulgarizando e querendo se meter na escolha de como essas meninas podem ou não se vestir, muito pelo contrário, aí, é “close certo”, pois, elas estão sendo “empoderadas” e “lacradoras”. 

Além disso, ninguém ali na Marvel nasceu ontem, apesar de o editorial vir agindo como crianças retardadas de 10 anos ultimamente. E, tampouco o J Scott Campbell é um desenhista novato que apareceu na praça semana passada. Portanto, quando você contrata um desenhista com 20 anos de carreira e que já fez diversos trabalhos para sua editora, definitivamente sabe o que esse cara vai lhe oferecer. Ele tem uma abordagem estilística bem peculiar… Tá, é um desenhista de mulher gostosa, mas, e daí? O que importa é que ele é bom no que faz – apesar, de esse desenho em específico estar uma merda e isso tem nada a ver com implicância por ser essa personagem, só tá cagado mesmo. E não nos esqueçamos das polêmicas ridículas anteriores… Antes do Campbell, tivemos o Manara, depois, o Frank Cho passando pelo mesmo transtorno na mão dos mesmos butthurts de agora. Seja como for, as editoras… Marvel, DC, Valiant, etc., enquanto empregadoras e contratantes desses profissionais, deveriam  dar todo o apoio e respaldo aos artistas que eles mesmos  decidiram chamar .. não abandoná-los ao primeiro sinal de problemas ou pressão infundada. Essa atitude covarde da Marvel em dar pra trás e ceder à pressão do bububu, deixando o Campbell na mão, só serviu para dar validade ao linchamento e fazer esses ativistas nojentos se sentirem com mais razão. 

As vezes se tem a impressão de que esses movimentos feministas, LGBTQ e afins controlam diretamente os departamentos de venda, administrativo e editorial dessas editoras e estúdios.  Porque só isso explicaria o motivo de conglomerados como Disney, Fox e Warner se submeterem tão passivamente à mais mínima pressão dessa putaiada ao menor sinal de algo que lhes irritem. Quando deveria ser o exato oposto:se alguma coisa irrita essa gente, aí é que deve ser feita com gosto, com tesão mesmo, pois, esse pessoal não importa, não representa nada. E é isso o que a Marvel precisa fazer: botar o pau em cima da mesa e deixar de baixar a cabeça pra essa minoria escandalosa e jogar no lixo essa ideologia SJW pós-moderna que eles vem adotando de forma forçada nos últimos 2, 3 anos. Novamente, não vejo absolutamente nada de sexual nessa capa. Se tem gente que vê, talvez isso fale mais sobre essas pessoas do que sobre o público em geral e eu.É como diz o ditado: “a maldade está nos olhos de quem vê”. Nesse caso, podemos trocar maldade por pedofilia, sacanagem, safadeza, mau caratismo…

Por isso, sou obrigado a concordar com a afirmação de que estamos vivendo na geração mais merda de todos os tempos, porque, puta que o pariu, tá foda… No meu tempo não era assim, hahahahaha. E eu nem sou velho, pô… Sou um cara que cresceu nos anos 90, a década do Liefeld e não tinha essas frescuras de hoje, de que tudo é ofensivo, tudo magoa. Ninguém saia choramingando toda vez que algo não estava em conformidade com os seus padrões. Por exemplo, quando eu era moleque – e essa putaiada do caralho sequer existia – lia regularmente tudo o que saia por aqui tanto de Marvel, quanto de DC pela Editora Abril. Nos gibis dos X-Men (ou “Xis-Mein”, tanto faz) o Jim Lee  regularmente desenhava a Jubileu vestindo roupas muito mais curtinhas que essa blusa da Riri, inclusive, de biquini e maiô tanto nas histórias, como em posteres pinups que saiam nas revistas e eu não me lembro de uma pessoa sequer reclamando de erotização da pobre criança na seção de cartas do “Correio Mutante”, hahahaha. E eu tenho quase certeza de que a Jubileu era ainda mais jovem do que a Absoluta. 

Hoje li um artigo do UOL exigindo que a DC aposente o uniforme icônico da Mulher Maravilha em troca de uma vestimenta mais “adequada para os dias atuais”, em outras palavras, um traje 100% politicamente correto (nada de maiô, seu punhetão). E mais uma vez, um texto provavelmente feito por alguém que mal conhece a personagem e que deve ter envolvimento zero com a cultura dos quadrinhos. Aí, pergunto: vale a pena dar importância pra opinião dessa gente? Por  eles, já tinham colocado todas personagens femininas em burcas e ponto final, já era, acabou! Idiotas autoritários politicamente corretos. Idiotas e tacanhos, pois,  se tivessem algum conhecimento dessa porra, saberiam que os quadrinhos de super heróis sempre tiveram mulheres posando em trajes colantes e sensuais desde os anos 40- isso faz parte do apelo basilar do gênero. E sabe o mais legal nisso tudo? Aposto que nem sequer 1% dessas pessoas chorando e fazendo campanhas de linchamento virtual no Twitter sequer lê uma bosta de um gibi por mês. E ultimamente, cada vez menos pessoas vem lendo o que a Marvel anda publicando…

E sabe porque?

Por Causa dessa bosta aqui, ó!

Porque a Marvel de hoje é um lixo. Um L-I-X-O. Sua linha atual, a infame “All-New, All-Different Marvel” é a responsável pelos piores números de venda da editora  em todos os tempos. Eles estão rolando ladeira abaixo rumo à decadência, já há um bom tempo e a tendência é só piorar. No mês passado, Marvel  teve apenas duas revistas no top 20 das mais vendidas do mês. E se for falar da qualidade do conteúdo que eles estão publicando, o papo fica mais bravo mais ainda. E isso é uma coisa boa para que eles se deem conta de que é isso o que acontece quando você, criador de  conteúdo passa a se preocupar mais com ser Politicamente Correto o tempo todo do que em produzir boas histórias para agradar o seu público que lhe sustenta mês a mês.

A Marvel de hoje é o que a DC era de 2011 até o começo deste ano, uma editora rendida, castrada criativamente e obrigada por decisões corporativas a sacrificar seus personagens, continuidade e legado  no altar da representatividade, lançando títulos completamente inúteis um atrás do outro, apenas para cancelá-los 6 meses depois por total desprezo e indiferença dos leitores, apenas visando agradar insignificantes nichos de público alvo. Eles auto-censuraram a porra da capa do Campbell simplesmente por causa da lamentação de SJWs  obcecados com a “objetivação” moral de personagens fictícios irreais (redundância)… Essa é a definição de ceder bovinamente ao politicamente correto. DC depois de seguir nessa mesma linha e tomar na bunda por 5 anos, repensou sua postura e voltou a mirar no público mais, digamos assim… tradicional, que é de onde sempre veio o dinheiro do pãozinho. Agora, advinha quem tá chutando o rabo de quem no gráfico de  vendas dos últimos tempos?

E, por mais que a Marvel tenha seus filmes como principal fonte de renda, ainda assim, ela precisa vender quadrinhos para seus leitores. Ela ainda precisa desses personagens em circulação nas revistas, mesmo que sejam como anúncios publicitários mensais para seus lineups de TV e cinema, que é a forma como o Universo Marvel vem sendo tratado pela Disney desde a compra da editora em 2009.  Com o passar do tempo, essa pressão   que  até os últimos anos, com seus relançamentos constantes, até o estado de decadência total em que se encontra hoje, quando se tornou o que eu vou começar a chamar a partir de agora de Marvel Novos 52. Quarteto Fantástico, já era, X-Men, ídem; Homem de Ferro é uma menina negra de 15 anos (??); o Homem-Aranha é um garoto  negro e hispânico; Hulk é um moleque coreano; Capitão América é um  negro;  Thor é uma mulher; assim como A Wolverine – e nem estou considerando aqui o que fizeram com Homem Boiola de Gelo, porque, esse sempre foi um personagem bem bunda, com o perdão do trocadilho, que alias, é muito bom, hahaha. Em suma, eles conseguiram descaracterizar ou acabar totalmente com TODOS os seus personagens mais importantes e conhecidos do grande público, trocando eles por versões descartáveis e de alcance e repercussão irrisória.

 Nos anos 90, a DC foi substituindo o Superman, depois, Batman, Mulher-Maravilha e Lanterna Verde,  no espaço de poucos anos, mas não TODOS ao mesmo tempo. Kyle Rayner foi o único desses suplentes  que perdurou por um longo período. Eu não estou incluindo o  Wally West  como o Flash nessa, porque nesse caso, foi uma passagem legítima do bastão para um personagem “legado”, até a desnecessária volta do Barry Allen (que NINGUÉM  pediu, mas, enfim…). E em todas essas mudanças citadas,  mesmo com os novatos cumprindo bem seu papel, sempre ficou claro que quem realmente importavam eram os heróis originais, os ícones, pelo menos no caso de histórias de substituição da “Trindade” da DC.

O que a Marvel está fazendo é jogar todos esses personagens clássicos e estabelecidos para longe dos holofotes, todos ao mesmo tempo, e criando uma nova geração anódina, insípida e inodora, sem nenhum carisma. Às vezes (muito raramente) eles dão sorte, e um personagem de substituição pega, como foi no caso do Miles Morales. Mas meter o louco e substituir todos os seus personagens principais de uma só vez, em nome da diversidade e de ações afirmativas, é uma loucura! E estão aí as baixas vendas pra provar que estou certo. Essa é uma ideia interessante e potencialmente digna pro vagabundo que dá um like quando uma notícia dessas sai num Catraca Livre ou Huffbost da vida, mas só serve pra afugentar os leitores de longa data. Será que  esses putos da Marvel não aprenderam nada com o fracasso da DC com as infames iniciativas dos Novos 52 e DCyou?

Isso é tudo muito bom, tudo muito lindo no papel… Afinal, representatividade importa, certo? MAS, se os VERDADEIROS leitores não estão interessados nessa porcaria que estão tentando empulhar,  qual é o motivo de ainda assim querer insistir nessa merda? Eu não estou dizendo que todos eles são personagens  ou idéias ruins (só a Riri, essa é uma grandessíssima BOSTA mesmo), mas, querer fazer essa troca desesperada toda de uma vez  é que é o grande problema, como, inclusive, alguns veículos de comunicação assumidamente “progressistas” e defensores caninos da “diversidade uber alles” vem admitindo ultimamente, que isso vem passando dos limites. Não é de admirar que as vendas da Marvel passaram a cair absurdamente depois que eles passaram a dar esse enfoque mais pós modernista às suas histórias. Na boa,  eles  estão pouco se lixando pro que  seus leitores estão interessados, a não ser de promover essas agendas que tanto estão na moda nesse editorial bunda mole da antiga Casa das Ideias. Esse excesso de substituições sem sentido, tudo ao mesmo tempo,foi o que fez com que o Universo Marvel se tornasse praticamente irreconhecível, e os fanboys simplesmente mandaram um belo dum “foda-se” e deixaram de se importar com essa merda. E assim, como foi quando a DC tomou vergonha na cara e voltou a fazer histórias decentes, esses leitores vão acabar voltando quando a Marvel  jogar essa merda hipster de “All New, All Shit” no lixo do esquecimento e voltar a se concentrar em criar  boas histórias com os personagens que os leitores realmente se importam. Só aí a Marvel vai sair dessa Era de Merda em que eles mesmos se colocaram e voltar a ser a maior e melhor editora de super heróis do mundo.

 

 

 

 

24 comentários Adicione o seu

  1. Anônimo disse:

    kkkkk mimimimimim

    Curtir

  2. alessandro disse:

    All new all shit… kkkkkjja

    Curtir

  3. Gian Lucas disse:

    Se bem que a capa tá bosta e nada criativa, se bobear o Campbell nem tava com vontade de fazer essa merda, ele costuma fazer capas fodas. Tenho que confessar que o ùnico da corja aí que curto é o Miles, mas não porque ele é negro e sim um bom personagem( pelo menos pra mim).

    Curtido por 1 pessoa

    1. Anônimo disse:

      Isso chola, chola mais, mimizento machista e misógino do caralho. Aceita que dói menos. 🙂

      Curtir

      1. Gian lucas disse:

        q

        Curtir

  4. Luciano de Souza disse:

    Eu já falei, a solução pra isso é simples, basta PARAR de colocar MULHER e MINORIA como super-herói. Já que não pode fazer nada com eles, tudo que faz vira polêmica, então que as editoras larguem mão de agradar quem é impossível agradar. Super-heróis homens brancos heteros podem aparecer espancando vilão, sendo espancados pelo vilão, sendo vítimas de alguma malvadeza do vilão, enfim, TUDO QUE ESTÁ NO FIGURINO sem que isso gere nenhuma tese sociológica sobre a opressão do patriarcado sobre as mulheres e as minorias.

    Curtir

    1. Ana Carolina disse:

      Se fizer isso, vai dizer ” ah so usa branco homem hetero com padrão pra super-heroi” eh uma bosta esse negocio, uma mulher q se ofende com essa capa so tem merda na cabeça. A roupa dela ta melhor do q das garotas q vejo hj em dia.

      Curtir

      1. Luciano de Souza disse:

        Por isso que eu disse que é díficil de agradar. E não tenho nada contra mulheres serem heroínas, mas tinha que fazer a ironia.

        Por exemplo, sempre gostei da Mulher-Maravilha. Mas como todo herói ela já foi aprisionada, amarrada, esganada e agredida por um vilão. Hoje não pode mais. Haja saco. Vou ler o Batman, pelo menos o Coringa pode judiar dele a vontade.

        Curtir

    2. Anônimo disse:

      É claro que só a suposta maioria compra HQ’s. Deixa de ser bitolado rapaz.

      Curtir

  5. Anônimo disse:

    #PeloamordeThor! Ta na hora de evoluir com essa opiniãozinha de 1960 né?! Tem um monte de mulheres, negros e homosexuais coloristas, desenhistas, roteiristas e etc, qie não se viam representados nos HQs. Nao é só você sisgenero branco que consome quadrinhos. E se for, daqui a dez anos nem existirá mais. Por que as novas gerações lêem Mangá. É uma belo trabalho da Marvel para resgatar/renovar o público!

    Curtir

    1. Luciano de Souza disse:

      Curioso que nos mangas as mulheres são SENSUALIZADAS sem nenhum problema! Decidam-se, porra!!!!

      Curtir

  6. Incubus disse:

    Na década de 90 alguns artistas talentosos cansados dos mandos e desmandos das grandes editoras fundaram a própria editora e revolucionaram os quadrinhos. O q os SWJ estão fazendo é quase a mesma coisa. Os artistas de agora ou entram na IMAGE comics, ou fundam a própria editora. Simples assim.

    Curtir

  7. Miguel disse:

    15 anos é mulher e não “menina”. A puberdade começa aos 9 anos e não 18.
    Pedofilia é antes da puberdade, em geral, antes dos 9 anos.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s