Nova Revista Do Homem de Gelo Promete Penetrar Fundo Na Sua (Homo)Sexualidade!

iceman_teaser-600x922
Os Gayzistas pediram e a Marvel deu (ui!): Mas, será que essa merda dura (ai!) até o nº 24?

Ontem o site Nerdist deu (ui!) uma notícia  em primeira mão – e que logo foi chupada (ai!) pela maioria dos sites de entretenimento – revelando a equipe criativa por trás (ooh!) da nova revista do Homem de Gelo (aiuiai!) a ser lançada em abril do ano que vem, juntamente com os outros títulos que irão compor a linha “RessurrXion”, que vai mais uma vez relançar os títulos das franquias dos X-Men e dos execráveis Inumanos (aargh!). Os responsáveis por esse aborto excretor de gibi serão o ‘escritor’ Sina Grace e o desenhista tosco Alessandro Vitti, com capas horrorosas de Kevin Wada, o responsável por essa abominação arte abichanada e medonha, em que todo mundo tá com cara de baitola, que você vê aí, no topo da postagem. Daí, arguto Contronauta me diz: “ok, imperador, a gente já sabia que eles iam lançar esse gibi de merda já faz um tempo. Quem tá se lixando pra essa porcaria e pra esses autores medíocres?” Bem, caro leitor, a graça dessa história a gente vai ver agora:

580a76cd809e4

Na referida matéria, o editor da Marvel, Daniel Ketchum disse na maior cara de pau que as “várias e diversas” teorias dos fãs (que ninguém nunca viu) sobre o Homem de Gelo sempre ter sido gay foram um fator importante na estúpida decisão da editora em  “tirar ele do armário”. Segundo Ketchum, Brian Michael Bendis – a ameba que tirou do cu essa ideia fuleira  – foi “muito sábio” em identificar que essas características do personagem “sempre existiram”. Realmente, todas as pessoas que acompanharam as histórias do Homem de Gelo, seja nos X-Men ou em outros títulos sempre foram burros, já que apenas uma minoria insignificante se prontificou a vestir a carapuça dos profetas do apocalipse, dizendo que sempre souberam disso. Mas, esses, não importam. A gente sabe que são militantes e ativistas que passam a vida querendo estatizar o cu de todo mundo. O tipo desprezível de gente que quer fazer todo mundo ser gay a força.

Concluindo seu argumento burro e sem defesa, Ketchum diz que fazer o Homem de Gelo -um personagem com mais de 50 anos de histórias e diversos relacionamentos hétero-normativos – virar gay de uma hora pra outra, do jeito mais forçado e idiota possível, não foi uma tentativa de inventar uma coisa sem sentido e jogar no personagem a esmo, para preencher uma cota, mas, sim, para contar uma história que precisa e deve ser contada, pois é algo que sempre esteve ali, inerente ao personagem… Só que eu e o resto do mundo eramos estúpidos demais para nunca termos percebido. PQP, como esse Bendis é um GÊNIO!

Ou seja, o Homem de Gelo agora é mais um garoto propaganda da agenda LGBTQ  gayzista, porque os leitores sempre o quiseram assim! Eeeeeeeer, não. No fucking way. Mas, antes de prosseguir, vamos fazer uma recapitulação rápida do assunto:

Ao fim da sua execrável fase na franquia dos X-Men, cagando em seus dois principais títulos, Brian Bendis encerrou a revista All-New X-Men na edição de 40, deixando um presente bem indigesto para a próxima equipe criativa e principalmente aos seus leitores:

E foi isso. Essa foi a grande revelação, como foi porcamente concebida pelo ‘brilhante’ Bendis Bendoso e mais porcamente conduzida nas edições e revistas seguintes após sua saída da linha e que foi amplamente festejada pela comunidade LGBTQ na época.  Um herói com mais de 50 anos de carreira, sempre caracterizado por ser um personagem hétero, virou gay por conta de um capricho de um escritor decadente e de uma editora oportunista e demagoga, que optou por jogar 50 anos de sua história na lata do lixo a fim de fazer apologia a uma agenda específica e agradar uma meia dúzia de SJW que estão acostumados que todo mundo baixe a cabeça quando eles começam a reclamar de tudo e (sem trocadilho) pau no cu de quem não gostou – mesmo que sejam esses enrabados os que mantém essa porra funcionando com seu dinheiro. Ao contrário dessa putada minoritária, cujo único interesse em revistas de super-heróis, é o de pautar o que se pode ou não ser publicado, de acordo com seu ativismo impositório e ditatorial.

Pra começo de conversa, quem caralhos é esse tal de Sina Grace? Até onde sabemos, a  única coisa que o qualifica para escrever este gibi do Homem de Gelo é que ele é gay. Melhor: o que caralhos acontece com a Marvel… Porra, o que acontece com esses filhos da puta, que eles não fazem a menor questão de lançar revistas ao mínimo decentes, com boas histórias, em vez de cartilhas de/por/para grupos de diversidade? Com iniciativas como essa, em publicar mais um gibi que ninguém pediu e que só reforça a tese de que o objetivo principal de seus editores é usar essas histórias como plataforma pra agendas ideológicas de caráter duvidoso… E mais uma vez, também reforçando a falácia que vem se tornando moda na indústria do entretenimento em geral, de que só uma pessoa com “vivência” em tal coisa é que pode escrever determinado personagem. Antes, não tinha essas putarias.

 

Aliás, todos esses personagens que estão aí por tantos anos e que agora estão sendo deturpados um a um, foram criados por gente que esses gayzistas vêem como sendo os piores demônios que se tem notícia: homens brancos, héteros, de meia idade e provavelmente, classe média. Vagabundo gosta tanto de querer monopolizar X-Men pra sua causa, usando o conceito da equipe pra justificar as suas merdas, que esquece que o maior escritor dos X-Men de todos os tempos, o Chris Claremont (um homem “cis”, branco, opressor e etc…) além de ter criado a maioria desses personagens, foi o maior responsável por tornar a Tempestade, uma mulher negra, uma das principais heroínas da Marvel – a maior, na verdade, antes de eles virem com essa graça de querer turbinar a popularidade da inexpressiva Capitã Marvel, por conta de interesses cinematográficos e financeiros. É abominável essa atitude da Marvel de ter se pautado a selecionar entre apenas escritores que fossem gays pra escrever essa nova revista. Isso não deveria ser o  foco de uma série do Homem de Gelo, só porque agora inventaram que ele “é” gay – na verdade, isso não deveria ser foco de revista alguma.

06iceman-web-master768

A ideia de que “fizemos esse gibi ‘porque os fãs pediram'” é ridícula e absurda, e não tem nexo. Quer dizer então, que eles agora estão considerando oficializar fanfic de gayzola e gorducha encalhada, que só outros poucos retardados acompanham nos esgotos dos Tumblr e chans da vida? Que patético…  E não venha com essa de que isso sempre existiu e que  vai além do delírio de meia dúzia de “fãs” pervertidos. A alegação de que outros escritores antes da anta do Bendis tinham deixado pistas sobre o homossexualismo camuflado de Bobby Drake não passa de outra balela.  O fato de que existem 3,4 babacas que defendem essas sugestões imaginárias que o Homem de Gelo sempre foi gay,  não serve pra provar porra nenhuma, a não ser que essa corja são uns escrotos oportunistas que se atiram em tudo o que vêem para defender suas causas e que esses filhos da puta não leem as revistas que eles querem bostejar sobre. Além de bostejarem sermões nojentos do tipo: “mimimi, vc leu os gibis dos X-Men e não entendeu nada”, como já vi muito puto dizer por ai. Então, né, filho da puta, essa é uma boa oportunidade pra desmontar essa conversinha fiada que há tempos vem me incomodando. Vamos enumerar pra ficar mais fácil pra todo mundo:

1 – X-Men é um gibi de super heróis como qualquer outro, com porrada, poderzinho e um draminha barato de pano de fundo e não tem porra nenhuma de especial ou de diferente de uma Liga da Justiça ou um Youngblood da vida, tirando que alguns de seus personagens são mais bem construídos e carismáticos. Em síntese, os X-Men não passam de uma derivação dos Vingadores que o Stan Lee ficou com preguiça de pensar na origem dos poderes de cada um.

2 – X-Men não é monopólio de propriedade dos gays, tampouco foram feitos pra eles. À época da criação do grupo, os conflitos  eram outros e envolviam questões raciais, e nada tinha a ver com homossexualismo. Com o passar do tempo, a questão da “minoria oprimida” ganhou mais espaço na franquia, mas, mesmo assim, sempre foi tratada do jeito mais abrangente possível, de forma que todos aqueles que se considerassem “excluídos” de alguma forma, pudessem se identificar com um ou outro tema apresentado nas histórias. E isso foi feito sempre através de metáforas (tipo o Vírus Legado), dentro do contexto de se passar num universo fantástico e nunca puxando a sardinha pra um lado apenas.

 

3 – Minha resistência à esse caso do Homem de Gelo em específico tem nada a ver com preconceito, homofobia muito menos de intolerância com pessoas “diferentes” de mim, já que não julgo ninguém pela cor da pele ou com quem transa. Simplesmente sou contra um camarada vir do nada e retconizar um personagem estabelecido pra agradar meia dúzia de justiceiros sociais e idiotas da internet que apontam coisas inexistentes nesses personagens e que ninguém nunca viu, daí fazem fanfics e campanhas estúpidas pra fazer suas fantasias nojentas se tornarem oficiais e pra Marvel se promover com a mídia adesista com polêmicas baratas e tentar atrair os folclóricos “novos leitores” com esse seu jeito boca de porco de instituir diversidade em seu elenco de personagens.

John Byrne (só o cara que criou o primeiro personagem gay dos quadrinhos de super-heróis) disse uma vez em seu fórum, que nos anos 80 os autores e editores nos escritórios da Marvel costumavam rir de uma meia dúzia de nerds retardados que escreviam cartas afirmando que o Homem de Gelo era gay porque ele tinha “problemas em arranjar uma namorada”. Byrne disse que isso virou piada  recorrente nos corredores da editora:  o Homem de gelo tinha tantos “problemas em arranjar  uma namorada” quanto os dementes que escreviam merdas desse tipo. E é isso o que eu acho também. Vagabundo adora projetar suas merdas em terceiros (sejam personalidades públicas, ídolos ou mesmo personagens ficcionais), daí, não contente com isso, o infeliz quer forçar que seu objeto de admiração SEJA exatamente como ele é, de um jeito ou de outro e se gozam nas calças com qualquer “indício” que encontra, tipo, essa cena abaixo, do Homem de Gelo com o Shatterstar, que também não passa de uma brincadeira do Peter David:

E, antes que me esqueça, ser contra a iniciativas idiotas e sem escrúpulos como essa, não implica em ser preconceituoso, homofóbico, nem nada do tipo. Simplesmente, sou contra, porque é uma ideia estúpida pra caralho: o jovem Bobby Drake ser “revelado” como gay não faz automaticamente o  Bobby adulto gay também. Foi uma das coisas mais cretinas que já vi numa HQ:  o Homem de Gelo do presente vendo o garoto Bobby soltar a franga e, do nada decidir “Ai,se ele é gay, então, eu também sou “, pra em seguida, procurar um outro mutante gay pra perguntar “como é ser gay”. Só sendo muito mau caráter pra não admitir que isso foi (e é) um puta desserviço tanto ao personagem, quanto a sua história, aos seus leitores e fãs e até mesmo pra porra da caralha da causa do cu do capeta que vocês querem promover, cambada de otários filhos da puta!  Novamente, por que não criar um NOVO X-Man gay (apesar de já terem tantos), com um título mensal próprio, fazer uma baita promoção em cima desse lançamento e dar-lhe a oportunidade de conquistar um novo público, assim como foi com os superestimados Miles Morales e Kamala Khan?

Enfim, eu não acho que promover uma revista de um herói que sempre foi do segundo (quiça, terceiro) escalão e que ninguém se importa, anunciando que o único motivo de essa revista existir é o de tratar de um aspecto específico do personagem seja uma boa ideia –  e, sim, esse VAI ser o mote da revista, conforme pode ser confirmado na entrevista que o tal Grace deu (ui!) ao Newsarama,  “Marvel’s ICEMAN Ongoing Focuses On His Sexuality”, de onde tirei o seguinte trecho : “Eu acho que a tensão no fato do Bobby se revelar como gay é o que será mais interessante neste projeto(…) Isso porque ele não só vinha mantendo algo em segredo para os seus amigos e colegas, mas também para si mesmo. E se você meio que olhar para os poderes dele, isso tudo estava meio que lá, em toda a história do universo Marvel(…)E com isso o personagem seguirá em frente, não só mudando sua vida pessoal, mas também ele mesmo como um herói”. Como dizia o Barão de Itararé: “de onde menos se espera, é dali que não vai sair nada…”

resurrexion-9

E meu ceticismo nem é por causa do tema “homossexualismo” (ou “homossexualidade”, se preferir), mas, porque pra mim, se limitar a apenas isso não vai ajudar em nada no desenvolvimento do personagem ou gerar interesse dos destemidos que vão topar encarar (e pior, pagar por) essa bomba. Pelo contrário, só vai limitar (ainda mais) o personagem como um todo. Tá, o escritor é gay assumido, logo, ele é a pessoa mais indicada pra escrever sobre um gay enrustido…  Mas, e ai… essa recém-descoberta viadice dele vai render conteúdo pra se fazer uma revista de 22 páginas todo mês só sobre isso? Com uma premissa dessas, alguém acredita que vai sair um bom gibi de super heróis daí e não apenas um panfleto ilustrado de propaganda LGBTQ? Com um herói sem carisma, que sempre esteve em segundo plano e que tem um background tão irrelevante e limitado e ainda com um limitador desses? De tantos outros personagens dos X-Men bem mais populares, porque logo ele vai ganhar um gibi próprio? E por que logo AGORA? Sinceramente, eu duvido que isso vai pra frente – chegar a emblemática edição 24, então, nem pensar, hahahahaha.

 

Enfim, quando a revista for devidamente cancelada lá pela sexta edição por baixas vendas, basta o escritor estrilar no Twitter que está sendo forçado a sair da rede por culpa do assédio e homofobia dos leitores, que isso ao menos vai servir pra   esse fiasco cair (ui!) na boca de todo mundo novamente – com o perdão do chiste, hahahahahahahahahaha.

PS: Se ao menos esses filhos da puta citassem este episódio do Family Guy como “evidência” da bichice do Homem de Gelo, talvez eu lhes desse algum crédito…

 

 

 

 

 

 

 

 

 

8 comentários Adicione o seu

  1. nandoskennedy disse:

    Não tem nenhum problema em condenar a homossexualidade em si, uma vez que é um distúrbio mental.
    Não estou justificando a homofobia, não estou justificando ÓDIO, apenas acho deveríamos parar de fingir que não há problemas em normatizar homossexualidade. Normatização de atitudes de grupos de pessoas tem implicações sociais, ou seja, é errado dizer que gays não afetam as pessoas.
    Todo mundo afeta a sociedade em algum aspecto, e com gays não é diferente. Eles sempre afetaram e sempre vão afetar. A diferença é que antigamente as pessoas não tratavam isso como normal, e faziam certo em agir assim.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s