Distopia Orwelliana Na Itália

bigbrother

Este é um daqueles assuntos que muitos estão pouco se lixando, pois, aparentemente “não tem nada a ver com a gente”. Mas, é sempre bom lembrar que o Brasil é a terrinha do atraso, e por isso, tudo o que é ruim, acaba chegando aqui uma hora ou outra – e o pior: chega aqui e FICA. Vagabundo daqui adora imitar as merdas que não deram certo em outros países e emular o comportamento e os costumes que revelam muitas vezes o que há de mais podre no ser humano e na sociedade. Basta ver o quanto algumas ideologias abomináveis tiveram um crescimento no seu alcance e influência por aqui nos últimos anos.  Por isso, acho que é sim, importante ficar de olho em atrocidades como essa que estão acontecendo agora ao redor do mundo, pra já ir se preparando pra chuva de pica dura que vai acabar caindo por aqui num futuro próximo. O mais revoltante são situações como essa que lhes trago hoje, em que a porrada vem do Estado com todo o seu autoritarismo contra o povo, em atitudes que fazem até mesmo o mais cético Contronauta se questionar se já não estamos no mundo distópico e quase apocalíptico descrito magistralmente pelo gênio George Orwell na obra prima 1984.

maxresdefault-5

O caso que vou comentar aqui é o de um idoso, dono de um pequeno hotel na Itália que foi OBRIGADO pelo governo de lá a abrigar um grupo de refugiados  CONTRA A SUA VONTADE. A história completa está no vídeo abaixo, mas vou fazer um breve resumo: na pequena cidade de Ficarolo (Província de Rovigo, Itália),  Luigi Fogli, dono de um hotel, rejeitou uma proposta de acolhimento de “refugiados” por considerar as condições do contrato nada vantajosas, o que, na minha opinião, ele tem todo o direito – tanto de optar não aceitar o contrato, quanto o de determinar quem ele hospeda em seu estabelecimento. Só que pena que o Estado não pensa assim, pois, o governo decidiu então requisitar, digo, tomar o hotel à força. O vídeo compartilhado aqui mostra o momento da chegada desses “pobres coitadinhos”, escoltados pela polícia, no  dia 15 do mês passado. Esse é o respeito do Estado pela liberdade das pessoas e a propriedade privada na nova Europa multicultural. Viva a diversidade, yay!

(Repare que nas imagens não se vê uma única mulher, nem criança entre os refuJIHADos…)

Que foda! Eu realmente fico revoltado com esse tipo de coisa. Provavelmente, o velhote se matou de trabalhar por toda a porra da vida para ter o seu hotel… e daí vem o governo e faz isso: toma a sua propriedade, o seu negócio para ceder de abrigo aos  imigrantes, tudo, claro, em nome do “humanitarismo” e do Politicamente Correto, que, pelo que se nota em casos como este, você só é beneficiado se pertencer a alguma “minoria oprimida”. Ou seja, homem hétero, branco tem mais é que se foder de acordo com essa gente que defende essas merdas.

Como se isso por si só já não fosse péssimo o bastante, deem uma olhada nesta notícia divulgada há 5 dias no site Portas de Viena, caros Contronautas e vocês verão que tudo que tá ruim, pode ficar ainda muuuito pior. Pois, se assim como eu, vocês acharam revoltante esse velho ter sido obrigado pela polícia italiana a alojar uma muvuca de refujiahdistas contra a sua vontade em seu hotel… Saibam que isso é só o começo. O governo italiano instituiu uma medida a fim de obrigar toda a sua população a ceder as suas propriedades para alojar os invasores, sob o risco de serem enquadrados na lei e punidos por isso.

“O Ministro do Interior da Itália redigiu uma nova diretiva a respeito ao alojamento dos imigrantes que acabou por chegar à imprensa. Sob as determinações dessa nova diretiva, os donos de propriedades que estejam vazias ou sejam pouco utilizadas (ou mesmo segundas casas) terão de acolher imigrantes num número a ser fixado pelo Estado. Quem se opuser, será processado, podendo até ser preso.” – o trecho sublinhado foi por minha conta.  Enfim, para tornar a situação ainda mais grave (como se isso já não fosse suficientemente absurdo), os proprietários lesados por essa lei absurda não terão direito a receber nenhuma compensação financeira pelo Estado.

Sim, sim, caros Contronautas, eu também fiquei incrédulo (e enojado) ao ler o parágrafo anterior. Mas é mesmo verdade. Prosseguindo:

“O plano do Ministro do Interior (Plano Viminale) prevê o recurso a agentes de polícia e medidas de detenção para aqueles que resistam à requisição da sua propriedade para os imigrantes.(…) O processo deverá ser iniciado só a partir do dia 4 de Dezembro, porque antes há um referendo e o governo não quer que os protestos dos cidadãos influenciem o resultado desse referendo. (…) O executivo está preparado para recorrer a medidas drásticas contra os seus cidadãos caso eles resistam a ceder a sua propriedade aos imigrantes.

Os serviços secretos já alertaram o governo para a possibilidade de protestos violentos por parte dos italianos que não estejam dispostos a que a sua propriedade seja requisitada. (…) As autoridades poderão por isso mobilizar pelo menos 2000 agentes da polícia e até soldados do exército. Além disso, o Ministério da Justiça estará preparado para acelerar o processo de detenção e julgamento desses cidadãos. Na prática, isto significará a prisão daqueles que discordarem do plano Viminale.

(…) As medidas serão, em princípio, apenas temporárias. Porém, o plano Viminale contempla a expropriação das propriedades em causa, caso os seus legítimos donos resistam. Isto significa que, quem se recusar a ceder a sua segunda casa, poderá perdê-la. E os donos das propriedades terão de continuar a pagar os impostos requeridos pelo município. (…) O objetivo do governo é reduzir os custos associados à operação e manutenção dos centros de acolhimento dos imigrantes.”

ng4099795

Pra quem se interessar, segue essa matéria que aponta o custo obsceno para o Estado italiano resgatar os imigrantes: 300 mil euros por dia, e isso só para tirá-los do mar. Agora, a fatura tem que ser paga e advinha pra quem vai sobrar? Porra, para os mesmos de sempre, os desgraçados dos  contribuintes italianos, que vão levar mais essa tora no rabo por parte do governo, porque, afinal, né, a solidadriedade vem em primeiro lugar – com o dinheiro dos outros, é claro.

É  bom dizer que 300 mil euros por dia é apenas a quantia  para resgatar os imigrantes… Ainda tem mais quanto é que o Estado italiano gasta para manter os campos de refugiados para onde são encaminhados esses imigrantes salvos no Mediterrâneo. Caralho, é o cúmulo do nojo, usar o dinheiro dos impostos dos habitantes italianos – e isso em qualquer lugar, seja na Itália ou no Brasil –  fruto do seu trabalho e sacrifício, para resgatar estrangeiros que chegam aos montes todos os dias e que depois de assistidos sequer são devolvidos à onde vieram, o que acarreta em mais despesas e que saem do bolso de quem mesmo…?

49690ec8b8639f5b30db2563e6e1ad3c_article

Isso é ou não um estado de ditadura? A propriedade privada dos cidadãos vai ser utilizada contra a sua vontade para alojar esses imigrantes, que acredito, também não estão lá por desejo da população italiana. E quem se opuser, corre o risco de ir parar à prisão e/ou ficar sem a sua segunda casa/propriedade/estabelecimento comercial. Esse estupro dos direitos individuais é digno dos piores regimes totalitaristas, não de um país de primeiro mundo, do Ocidente ‘civilizado’. Ainda por cima sabendo que os europeus nunca foram consultados a respeito da questão dos refugiados e que, de acordo com várias sondagens, estão contra a sua vinda, como foi na Inglaterra, com a população votando em massa em favor do Brexit.

A primeira coisa que me vem a mente nesse caso é o discurso hipócrita daqueles que defendem essa porra de multiculturalismo, de que os imigrantes muçulmanos migram pra esses países para enriquecê-lo, conceder-nos incalculáveis benefícios, econômicos e culturais…  E, que como sempre, quem for contra essa ideologia imbecil não passa de um preconceituoso, xenófobo e fascista. Sim, porque fascista é quem quer defender o seu direito de ter sua propriedade e liberdade garantidas, enquanto que “tolerantes”, “humanistas” e “moderados” são aqueles que obrigam as pessoas a ceder a sua casa aos refugiados islâmicos sob ameaça de prisão, não é?

O que eu acho: se todos esses fugitivos  que tentam chegar ilegalmente à Europa por via marítima fossem imediatamente recambiados para os seus países de origem, logo perderiam a vontade de correr pra Europa ou seja lá pra onde caralhos for. Enquanto os europeus continuarem a receber os ilegais africanos, cada vez mais gente de outros lugares tentarão chegar à Europa desta forma, por verem que outros ilegais tiveram sucesso com esta estratégia, o que só vai leva ao caos nesses países, que não vão ter infra pra absorver toda essa gente, que também por costume não respeitar as leis e o povo locais.

Enfim, por enquanto, não somos alvo do destino de viagem definitiva desses alienígenas, em grande parte por causa da distância e do custo que acarreta pra essa putada vir de lá pra cá. Fora que aqui no Bananil eles não vão ter nem um décimo da moleza que tem nesses países de primeiro mundo, tipo Suécia, Inglaterra e a própria Itália. Basta dizer que no auge dessa crise de exodo migratório mundial, em 2014, dona Capivara, a ‘Dilmãe’ disse que “o Brasil estava de braços abertos para receber todos os refugiados” e em pouco tempo, muitos haitianos incautos que cairam na conversa da Marmota e arriscaram vir pra cá, acabaram vazando rapidinho pro Chile e pra sei lá mais onde – e nem me interessa. Pois, além de não terem recebido suporte algum do governo brasileiro (quem fez um trabalho de abrigar essas pessoas foi a Igreja Católica, a mesma que todo progressistazinha de merda adora meter o pau e algumas ONG´s e instituições privadas de caridade), a maioria só conseguiu algum sub-emprego que pagava uma miséria que mal dava pra pagar pelo seu sustento, muito menos mandar dinheiro para seus parentes que ficaram em casa.

No entanto, é bom ficar de olho, já que a tendência é essa onda benemérita de abraçar o multiculturalismo nesses países pode estar chegando ao fim. Alguns indicativos disso, fora a manifestação expressa da população de ser contra essas merdas sempre que ouvida, são eventos como o citado Brexit e a eleição do Trump nos Estados Unidos. revertendo esse quadro tanto na Europa, quanto na América do Norte, as atenções acabarão sendo maiores pra gente aqui, no cu do mundo. Como eu disse no começo deste texto, o Brasil é a terrinha do atraso, em que tudo de ruim do resto do mundo chega por último aqui e fica. Por isso, prepare your anus, amigo Contronauta, pois, em algum tempo, o Grande Irmão totalitarista vai chegar em cima da gente com tudo.

“Os tempos são outros, estamos em  1984, vai ter refugiado na sua casa SIM e se não gostar vão ter DOIS” Distopia Orwelliana hoje na Itália, amanhã (ou depois…ou na semana que vem) no Brasil, a terra do atraso.

1984

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s