Mais Uma Onda De Cancelamentos: A Decadência Criativa E Ideológica Da Marvel Continua…

Talvez o assunto mais comentado por aqui no Contra seja a péssima fase que os quadrinhos americanos de super-heróis vem passando nos dois últimos anos. Principalmente a Marvel, que se encontra em seu pior momento de todos os tempos. Um monte de decisões erradas que eles vem tomando sempre querendo promover agendas políticas de esquerda em geral, tipo o feminismo, o gayzismo e demais itens promovidos por aqueles chamados de “Guerreiros da Justiça Social”. Já há muito tempo que a Marvel não está mais preocupada em apresentar boas histórias ou mesmo de fazer dinheiro vendendo gibis de qualidade, ainda mais agora que eles tem seus filmes medíocres passando da casa do bilhão. Isso vem irritando os leitores americanos, que a cada mês estão deixando de comprar essas revistas, ainda mais com a DC voltando a chamar a atenção positivamente com o seu Rebirth. E como a Marvel responde à indiferença  de seus leitores e a iniciativa bem sucedida de sua concorrência? Lançando mais revistas lixos, que já nascem destinadas ao cancelamento, como veremos a seguir:

Tem sido uma prática comum na Marvel nos últimos anos publicar – além de revistas ruins –  séries “mensais”, que são descontinuadas depois de muito pouco tempo. Algumas, eles dão uma nova chance, relançando-as com um novo número 1 na capa, o que acaba dando um ‘up’ nas vendas iniciais, mas, que logo não se sustenta nas edições seguintes, daí, logo o cancelamento é anunciado e o que foi planejado de inicio pra ser uma série mensal contínua, se torna rapidamente uma mini série totalmente descartável, que depois de um tempo é republicada em um encadernado compilando esses coitos interrompidos em forma de HQ´s. Isso é o que normalmente acontece, mas, tem algumas exceções…

Essa próxima onda de cancelamentos que está por vir em março do ano que vem, consiste de alguns títulos que chegaram a uma numeração razoável (e em alguns casos, até surpreendente) em se tratando da atual situação dos quadrinhos americanos, com seus relançamentos e reboots constantes. Como diria um ceguinho com problema de aceitação de sua deficiência, vejamos alguns destaques das solicitações de fevereiro e março de 2017:

FOOLKILLER # 5
MAXIM BEMIS (W) • DALIBOR TALAJIC (A)
Capa por DAVE JOHNSON
Foolkiller vs Foolkiller! Qual será o destino final de Greg Salinger?
32 PGS./Parental Advisory … $ 3.99

VIÚVA NEGRA # 12
Mark Waid & CHRIS SAMNEE (W) • CHRIS SAMNEE (A / C)
TUDO leva a essa! Todos os segredos … Todas as mentiras … Toda a vingança … Tudo termina aqui.
32 PGS./Rated T + … $ 3.99

Uncanny Inhumans # 20
CHARLES SOULE (W) • KIM JACINTO (A)
Cubra por Frazer IRVING & SCOTT WILSON
IVX VARIANT TAMPA por Declan Shalvey & Jordie Bellaire
Inumanos VS. X-MEN TIE-IN!
Maximus the Mad recriou a receita para Terrigen Crystals, e pode terminar a guerra mutante-Inhumano com um único golpe. Ele pode finalmente ser um herói! Ou talvez ele não faça nada assim.
Tudo muda para os Inhumanos como Charles Soule traz seu marco de três anos em títulos Inhumans para um fim com esta história de tamanho extra.
32 PGS./Rated T + … $ 3.99

Vamos lá: Viuva Negra, do superestimado Mark Waid chega ao fim na edição 12, o que dá um número razoável e deve fechar a história, além de garantir aí dois encadernadinhos. Foolkiller é mais uma dessas revistas que até hoje não entendi o que caralhos esses caras tavam pensando em dizer que isso teria chance de se manter mensalmente, mas, pra minha surpresa, é uma revistinha legal, apesar de ter toda cara de mini série. E a execrável  Uncanny Inhumans está chegando ao fim, aparentemente junto com todas as outras revistas da franquia dos igualmente execráveis Inumanos e também dos X-Men, já que ambas fazem parte da iniciativa Ressurxion, que vai lançar um conjunto de novas revistas dos dois grupos após o fim do crossover IvX. E parece que além desses, há outros que estarão sendo limados nos próximos meses, como Scarlet Witch, Spider Man 2099, Solo, Great Lakes Avengers e um dos gibis mais nojentos de todos os tempos cometido pela ex-Casa das Idéias, o abominável Patsy Walker AKA Hellcat, cuja única razão de terem publicado isso foi por uma versão da personagem ter aparecido na insossa série da Jessica Jones na Netflix

Mais uma coisa: Hellcat é um reflexo do impacto negativo que o sucesso repentino e sem sentido da Harley Quinn, que mudou totalmente a forma de se abordar personagens femininas nos quadrinhos – pra pior, é claro. Esse gibi pra mim é o exemplo crasso de tudo o que tem de errado na Marvel atualmente: histórinhas bobinhas, coloridas, com pegada hipster e  desenhos amadores feitos num tablet xingling por uma criança retardada de 5 anos. Nessa categoria também entram as igualmente horrendas revistas pra menininha burra da Miss Marvel, Silk, Captain Marvel, Garota Esquilo, Gwenpool, as já devidamente canceladas A-Force e Mockingbird e da empoderada Moon Girl: tudo lixo da pior espécie.

Como disse acima, não é surpresa que as revistas do  Solo e do Foolkiller (Matador de Idiotas no Brasil) serão canceladas tão cedo. A segunda é bem divertida e engraçada, vale dizer – mas, não foi feita pra durar. Acho que a Marvel devia parar de tentar enganar seus leitores, se é que tem gente que ainda acredita que essas merdas vão durar mais de 5 ou 6 números. Talvez da próxima vez, em vez de lançar revistas “mensais” com personagens de merda, talvez eles pudessem repensar a decisão estúpida de não ter um gibi do Quarteto Fantástico em seu catálogo.

Goste você ou não da caralha do Quarteto Fantástico, é inegável a importância que esse grupo tem para os quadrinhos de super-heróis de maneira geral. Para a Marvel, então, nem se fala. Basta dizer que foi em sua revista, Fantastic Four #1, de 1961, que o que conhecemos hoje como Universo Marvel de fato começou. Sim, bazingueiro sommelier de lombada arrombado e filho de uma puta: se não fosse pelo Quarteto Fantástico, de Stan Lee e Jack Kirby, você não teria hoje os seus amados filmes e encadernadinhos capa dura pra bater a sua punhetinha diária.  Por isso, é um absurdo que na linha atual da Marvel tenha espaço pra tanto lixo, pra tanto desperdício de papel e nanquim, mas, não se tenha uma publicação sequer com o primeiro super grupo da ex-Casa das Ideias.

O último título do Quarteto (cancelado no começo do ano passado), com roteiros de James Robinson, estava vendendo na escala de 30 mil exemplares por mês, que é a média que a maioria das revistas vendem atualmente lá fora. Já fazia um tempo que eles não vendiam muito e a Marvel não pareceu nem um pouco preocupada em fazer isso mudar, pois, nada fizeram pra promover o título, muito menos os personagens nos últimos anos. O que mostra a total incompetência e estupidez de seu editorial:  O quarteto Fantástico está  no centro do Universo Marvel em termos de história e importância. Eles são parte fundamental da  fundação do UM, e pra mim não cola essa conversinha de que eles não são mais relevantes, ou que ninguém se interessa em comprar uma revista deles, pois o Quarteto é uma equipe de super heróis igual a qualquer outra. Exceto que consistem em quatro grandes e clássicos personagens e que tem uma tonelada de histórias e fases memoráveis (Lee/Kirby, Byrne, Hickman) e alguns dos maiores vilões de todos os tempos dos quadrinhos sairam de suas páginas (Dr. Destino, Galactus, Aniquilador, etc.). Enfim,  é muito escroto que a Marvel não esteja publicando um título sequer do Quarteto fantástico, por alegar que eles não vendem, quando , além da tonelada de revistas inúteis que citei acima e mais outras, em seu atual relaunch, o Marvel Now 2.0, tem dois títulos do Punho de Ferro, dois do Dr. Estranho e mais um monte de outras séries  de outros personagens irrelevantes e descartáveis.

Quero deixar claro aqui que por mais que odeie o atual direcionamento que a Marvel vem tomando nos ultimos tempos, eu não fico contente por essa porrada de revistas sendo canceladas uma atrás da outra. Na verdade, o que eu queria mesmo é que eles – e também a DC – lançassem mais revistas bacanas e com potencial de se manterem por muitos e muitos anos, sempre com boas histórias. Estamos todos do mesmo lado aqui, somos todos leitores e fãs de quadrinhos. Eu leio essas porras já faz quase 30 anos. Se não me importassem com isso, não estaria aqui perdendo meu tempo escrevendo sobre e tampouco você estaria me lendo se não curtisse tanto quanto também. Quando um gibi é cancelado, pode ser o gbi favorito de alguém que está indo pro caralho. Também não gosto quando degolam uma revista que estou acompanhando e é uma pena que de tantas revistas que essas editoras vem lançando, poucas conseguem se manter por mais de um ano que seja.  SÓ QUE A CULPA É DELES MESMOS, QUE INSISTEM EM PROMOVER ESSES GIBIS DE MERDA, COM PERSONAGENS MEDÍOCRES DE MERDA E QUE NINGUÉM SE IMPORTA!

Daí, a unica solução pros nerds americanos é o boicote, como o que vem ocorrendo com as merdas das revistas escritas pelo Nick Spencer (Cap Hydra e Cap Negão). Essas bostas parecem que  nunca vão chegar ao fim e eles não conseguem (ou não querem) perceber que ninguém curtiu essa ideia estúpida de que o núcleo fundamental de um personagem estabelecido do primeiro escalão seja completamente alterado sem nenhum fim à vista, fora as esquerdadas constantes na revista do Falcão, feita sob medida pra servir de cartilha de sermão SJW e não como um gibi descompromissado de super-heróis. Idéias imbecis como essa ou a de trocar o Tony Stark pela Riri Williams ou matar o Bruce Banner de um jeito tão cretino são conceitos tão sem sentido, que todo mundo que tem um mínimo conhecimento desses personagens e de suas histórias já sabem que vão dar merda e que nada de bom pode vir disso ao primeiro anúncio dessas porcarias.

Porém, mesmo com a quase totalidade de seus verdadeiros leitores apontando seu descontentamento com a atual linha da editora e mais ainda: deixando de comprar suas revistas, a Marvel insiste em ir nesta direção estúpida e equivocada, aparentemente com o único motivo de agradar e querer trazer pra si um público que não lê, não se importa, e não gosta de quadrinhos de super-heróis, que são os abomináveis Justiceiros Sociais. Por isso, vendem cada vez menos e a antipatia e o desprezo de seus fãs aumenta. Mas, eles tem os filmes bilionários, então, né… fodam-se os quadrinhos e pau no cu dos leitores. Viva os bazinga e os SJW. Esses são o novo público alvo da Casa das Ideias (de merda).

 

(*)Podcast do Contra, em que comentamos sobre os erros que a Marvel vem cometendo nos seus relançamentos recentes AQUI 

3 comentários

  1. O autor do post faria um favor a si mesmo, à sua saúde mental e aos leitores, se passasse a consumir mangás e HQs europeias. Lá não tem reboot, se personagem morre ele permanece morto (salvo raras exceções), roupinha colada e músculos hipertrofiados não são a tendência, os personagens usam o cérebro para se safar de encrencas e as histórias divertem.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s