A Diversidade dos Transtornos Diversos

Fala-se em “diversidade” hoje em dia, como se o fato de um homem se fantasiar de mulher fizesse dele uma nova espécie. Mas de fato são uma nova “espécie”: uma nova espécie de malucos, portadores de um transtorno mental classificado pela Psiquiatria, no CID 10 F64, como “Disforia de Gênero”. Os tais malucos se reuniram e tiveram a “brilhante” ideia de transformar o referido transtorno numa doutrina chamada “ideologia de gênero”, que prega a maior mentira da história da humanidade: se um homem, não nascido biologicamente uma mulher, tem o direito ser tratado socialmente como uma.

Ora, se um ser humano nao aceitou a verdade com a qual veio ao mundo – a de que é um homem – porque eu seria obrigado a aceitar a mentira de que ele é uma mulher?

Ninguém é obrigado a participar de um delirio, uma ficção criada por mentes doentes e tratar um macho como se fosse uma fêmea. Imagine vc ser obrigado por uma lei a chamar um homem de Napoleão Bonaparte, tratá-lo como Napoleão Bonaparte, mesmo estando óbvio que ele não é o Napoleão Bonaparte, porque o mesmo está morto; Pois bem: ocorre algo parecido quando o Estado quer punir as pessoas por “discriminação” quando nos recusamos a tratar um homem como uma mulher. O Estado quer nos obrigar a ir contra a nossa própria concepção do que é real, o que fere diretamente a liberdade de pensamento e de consciência garantida aos brasileiros pela Constituição.

Pelo mesmo princípio, teríamos que pedir perdão a todos os malucos que afirmaram ser Napoleão Bonaparte e não acreditamos e tratar então, todos os que se declararem agora Napoleão Bonaparte, como se fossem Napoleão Bonaparte, porque fomos “preconceituosos”…

A ciência se desenvolveu assustadoramente nos últimos dois séculos e o ser humano nao tem mais a certeza do que é significa ser uma mulher? Nem na ignorante Idade Média havia duvida acerca disso.

Esta é a geração mais pirada da história.

Na lucidez,

 

1 comentário

  1. Só algumas informações importantes:
    1. O CID-10 vai ser atualizado em breve e vai ser alterar o F64 de sua lista de diagnóstico, assim como no catálogo mais especializado e respeitado pela comunidade psiquiátrica internacional, o DSM-5, já excluiu a disforia de gênero como patologia, visto que, à luz das evidências científicas, não se enquadra como tal. Vc pode até discordar, assim como discordam da teoria evolucionista ou da terra ser redonda.
    2. Gênero não é definido apenas pelo aparelho reprodutor ou cariótipo, e não tô nem falando das ideologias sociais do povo de humanas, mas biologicamente falando mesmo. Se fosse assim, toda genitália ambígua, cariótipo indefinido, má formação congênita ou hermafroditismo teria de ser categorizado como um novo gênero, oq não ocorre, pelo simples fato de que, de novo sob a luz da ciência, o ser humano é uma criatura bio-psico-social (por isso todas essas disciplinas são consideradas ciências). Destarte, devemos levar em consideração estes aspectos na formação da identidade e agrupamento de certos indivíduos e a ele dar a oportunidade de se reconhecer como pertencente a um determinado grupo.
    3. Quem escreveu esse texto teve todo o apoio e direito do mundo de, inconscientemente, aceitar e se sentir confortável no gênero que lhe foi designado. Não seria justo que outras pessoas tivessem o mesmo direito também? Ninguém acorda um belo dia e decide mudar de gênero. A pessoa se sente infeliz, inquieta e talvez se reprima uma vida inteira, mas uma parcela delas em algum momento não aguenta mais e revela sua condição.
    4. Isso não faz dela doente, assim como uma pessoa pode gostar de determinada cor ou estilo musical, torcer para um time ou outro, e isso PODE vir a trazer sofrimento (seu time perde todos os campeonatos, por exemplo). Logo, não dá para colocar a identidade de gênero como um delírio ou enquadrar em qualquer outra patologia. Antes que diga que esse pensamento está em desacordo com o genótipo/fenótipo ou cariótipo da pessoa, se lembre que determinar como certo ou errado oq uma pessoa pensa de acordo com sua condição biológica é basicamente a base do pensamento nazista “judeus são mau-caráters por serem judeus, tá no sangue deles”. Como já disse, somos mais e melhores do que isso, pelo menos segundo a ciência.
    5. A gente pode ajudar a fazer do mundo um lugar melhor de maneira bem fácil. Respeitando os outros e não os chamando de delirantes ou se recusando a tratar as pessoas com o respeito que esperamos ser tratados. Se alguém quer ser chamado de Senhor, Senhora, Senhorita, ou Você, não custa nada, dentro da boa educação que tenho certeza que seus pais te deram, tratar a pessoa com o devido respeito. 🙂

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s