Super Dossiê do Contra do atentado de Manchester

reffugees

Terça-feira, enquanto toda a nerdaiada estava na internet se lamuriando por causa da morte da filha do Zack Snyder (que se matou 2 meses atrás), coisa muito mais grave e importante estava acontecendo no Reino Unido, mais precisamente na cidade de Manchester, na Inglaterra: mais um atentado terrorista, que teve  desta vez, 20 vítimas fatais e mais de 50 feridos, graças a uma bomba que explodiu no meio do público ao final do show da cantora Ariana Grande, cujo público majoritário consiste de crianças e adolescentes, que inclusive, foram algumas das fatalidades dessa tragédia. Reunimos aqui algumas das melhores abordagens sobre o ocorrido e deixamos  pra que você assista cada um desses vídeos e entenda melhor o que ocorreu na noite da última terça e também sobre a situação de caos e terror que vivem os europeus por terem aberto suas pernas fronteiras em nome da “solidariedade” e do politicamente correto:

1. Nigel Farage:  “O que é que o nosso governo vai fazer realmente?”: a pergunta formulada pelo Sr Farage é inescapável… e o fato de não haver mais pessoas a repeti-la em todo o Ocidente é francamente preocupante. Os atentados terroristas islâmicos na Europa sucedem a um ritmo cada vez mais acelerado… mas não vemos medidas concretas por parte dos políticos para solucionar o problema. Infelizmente, eu receio que eles não querem resolver é porra nenhuma! O vídeo revela ainda um número interessante: existem 3500 potenciais terroristas islâmicos a serem vigiados pelas autoridades da Grã-Bretanha e no entanto, esses ataques continuam acontecendo…

2. Stefan Molyneux: “O que me enfurece no ataque de Manchester”: o Sr. Molyneux não tem dúvidas de que o problema do terrorismo islâmico se deve à atitude geral dos ocidentais, cada vez mais indolentes e submissos. Vale a pena assistir o vídeo inteiro, mas, destaco aqui a seguinte fala: “quem me dera que as pessoas não fossem apenas heróicas na sequência dos atentados, quem me dera que elas fossem corajosas antes dos atentados, para podermos evitar que eles acontecessem.

3. Tommy Robinson: “Os nossos políticos nos venderam”:  Robinson denuncia neste vídeo a islamização da cidade de Manchester, que começa nas mesquitas e acaba nas prisões, que, claro, é sempre paga com o dinheiro dos contribuintes britânicos. Mais importante do que isso, o Sr. Robinson explana que muitos dos políticos e funcionários administrativos da cidade receberam “luvas” de movimentos islâmicos. E deixa aqui mais um número curioso sobre os adeptos da “religião da paz“: numa sondagem, 66% dos muçulmanos afirmaram que jamais denunciaram outro muçulmano que tivesse aderido ao Estado Islâmico (ISIS). Legal, né…

4. Katie Hopkins: “Não toleramos as críticas ao Islã, mas toleramos o ódio islamista!”: a grande Katie Hopkins, uma das mulheres mais odiadas do Reino Unido (mais do que 99% dos homens britânicos), recentemente acusada de “incitação ao ódio“, concedeu esta entrevista ao programa Fox and Friends. A entrevista começa com a leitura de um excerto deste magnífico artigo que ela escreveu para o Daily Mail e no qual denuncia a doença que se apoderou do Reino Unido (e de todo o Ocidente) e que permitiu que os terroristas islâmicos conseguissem levar a cabo mais este atentado: o politicamente correto, um regime verdadeiramente totalitário que dá guarida ao multiculturalismo e, por extensão, ao câncer do Islã.

5. Carl Benjamin: “As verdadeiras vítimas”: Carl Benjamin tem muitos vídeos absolutamente brilhantes, sobretudo no que respeita à denúncia dos guerreiros da (in)justiça social e das ações antidemocráticas do esquerdaralho regressivo. Infelizmente, os vídeos dele costumam ter um defeito: são muito longos. É muito raro encontrar um que não ultrapasse os 15 minutos de duração. Essa é, aliás, a principal razão pela qual eu não os compartilho mais vezes aqui no Contra. Este vídeo, no entanto é uma verdadeira gema: Benjamin arrasa completamente a narrativa de que “as verdadeiras vítimas dos atentados terroristas islâmicos são os muçulmanos“, tantas vezes perpetuada não apenas pelos muçulmanos, mas também por muitos canalhas ocidentais que abraçaram inteiramente os dogmas do politicamente correto.

6. Nando Moura: “Manchester – A Religião da Paz”: E por último, mas não menos importante (na verade, é sim, hahahaha), o nosso considerado Nando Moura, o Malakói do Hebraico, hahahaha. Apesar de ser um boçal completo e um tremendo filho da puta e arrogante o Nando Moura, além de um  cristão fanático convicto, é o vlogger conservador brasileiro mais popular do YouTube, com 1,2 milhões de subscritos, o que faz dele o youtuber (teen) mais popular de Direita em português – e isso não é dizer pouca coisa. Neste vídeo, feito em reação ao atentado de Manchester, ele aponta algumas das muitas contradições da religião do “profeta” pedófilo. E deixa um aviso aos brasileiros que eu também já deixei várias vezes aqui no Contra: “não pensem que o Brasil está imune a esta praga. Hoje é lá, amanhã, vai ser aqui.

Enfim, não é a primeira, nem vai ser a última vez que desgraças desse tipo vão acontecer por lá. Como disse o execrável prefeito de Londres, Sadiq Khan, isso já faz parte da rotina do europeu… Faz parte viver sob constante pânico e impotência e o que é pior: eles é que escolheram isso ao abrigar essa gente em sua sociedade. Agora. sofrem o resultado disso.

Bônus:  Esse camarada aqui deu-se ao trabalho de compilar todos os ataques terroristas levados a cabo no Reino Unido desde os anos 70. Até um tempo atrás, todos acreditavam que o Exército Republicano Irlandês (IRA) fosse o principal responsável pelo terrorismo no Reino Unido e, em termos de quantidade de atentados cometidos, isso é verdade. Mas em termos de mortes provocadas, advinha:

E o grande vencedor é… a “religião da paz e do amor“, é claro! 😉 Mas, há outros dados curiosos que eu pesquei aqui:

  • A “pavorosa extrema-direita” só levou a cabo 4 dos 81 ataques terroristas realizados no Reino Unido;
  • A esmagadora maioria dos atentados terroristas foi levada a cabo por esquerdistas, cujos militantes cometeram 52 atentados, num total de 81;
  • O atentado de Lockerbie, levado a cabo em 1988, contribuiu com a maior parte das vítimas provocadas por islamistas, 270;
  • A partir do século XXI, praticamente só há mortes provocadas por atentados terroristas islâmicos; há apenas duas mortes provocadas por não-islâmicos… e 85 provocadas por islâmicos… e é preciso salientar que a década da dezena (2010) ainda não acabou!
Portanto, continuem só a culpar a Civilização Ocidental por todos os males do mundo, que os islamistas não só agradecem, como continuarão a matança.
E o ciclo da vida segue…

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s