Manual do Bacharel de Assuntos Aleatórios da internet

Fuçando pela net você acha por ai nego dando pitaco com ares de autoridade em tudo que é assunto: arte, música, quadrinhos, cinema, sexualidade, culinária,  Big Brother, pornografia, política, etc., etc…. É muita coisa, muito assunto e muita gente (burra, na sua grande maioria).

E é sempre assim: um Zé Ninguém (ou um Zé Ngm, no internetês) abre uma conta numa plataforma tipo o Blogger ou o WordPress aqui, faz a sua páginazinha no Feice e um canal no Youtube e monta o seu modesto espaço onde ele ou ela (ou ‘elx”, né) se coloca a falar de qualquer merda que lhe der na telha. Geralmente, o que ele não teria chance em outra mídia ou mesmo no seu circulo social por diversos fatores: ou por falta de oportunidade, de talento (a graaaaande maioria) ou porque ninguém se interessa pelo que o fulano (a,x) tem a dizer.

Ai entra a democracia da Internet (nem sempre tão democrática assim. Na verdade, cada vez MENOS democrática) onde qualquer um – qualquer um mesmo pode ter o seu site, página ou canal e postar seus textos, artigos, opiniões, desenhos, poesias medíocres, vídeos idiotas e demais macaquices  e assim poder fazer-se notar pelo mundinho (mesmo que virtual) de tantos outros medíocre quanto ele e quiça almejar alguma ilusão de sucesso vindouro.

Não precisa ser um verme digital, desses que passam a maior parte do tempo útil de suas vidas inúteis navegando na internet, acessando todas as redes sociais e afins para sacar a formula de “sucesso” na sua pretensa “carreira virtual”.

Eu mesmo até que fico bastante tempo conectado na net, mas ao passar esporadicamente por várias redes sociais (Facebook, Twitter e Youtube principalmente), notei que rola um padrão entre a maioria do pessoal que faz parte desse meio (e eu disse maioria, hein: não tô generalizando) e que só seguindo esse método você tem uma “vida” virtual promissora e a possibilidade de ser “alguém”.

Abaixo vai o que eu acho que um novato, um noviço, um imberbe virtual tem que fazer pra se dar bem (e ser “alguém”) na world wide web (alguém ainda fala assim ao se referir à internet hoje em dia? Eu acho que não, mas, whatever…):

1 – Esteja em todos os lugares ao mesmo tempo – participando de tudo que é post de discussão, em tudo que é grupo, seja lá qual for o assunto e comentando em todos os sites que você puder acessar. Da área de comentários do lixo do MdM à do lixo do G1. O dia todo, sem parar. Desse modo, você vai passar a ter uma “relevância” no mundo virtual e se tornará uma persona conhecida e considerada por outros igualmente desocupados como você.

 

2 – Reúna um séquito – um anônimo só é um anônimo ate o instante que alguém passe a o conhecer. Ao entrar nas  discussões, comunidades e grupos, você tem que se fazer conhecido, na verdade, digo mais… você tem que arrumar um jeito de entrar numa panelinha e ser considerado pela corja pelos manos, afinal não adianta nada ficar tc e ngm te dar bola, afinal o que todos mais procuram na net é atenção – quer admitam ou não. E pra isso ou você forma uma panela ou entra em alguma, mas o importante é ter uma turma dar a impressão de que vocês são todos unidos e amiguinhos – mesmo que um filho da puta esteja aqui em São Paulo, um em Curitiba e outro no cu do Alagoas, então ESTEJA EM ALGUMA PANELINHA OU GRUPELHO DE MERDA – QUALQUER UM . É dali que vai sair o seu ibope virtual. Siga o lema: Lamba as minhas bolas que eu lambo as suas, chupa a minha rola que eu… digo, ugh! Deixa pra lá – esquece essa parte, ugh!

 

3 – Esteja sempre presente, comentando o tempo todo, falando merda o tempo todo mesmo quando você não sabe nada sobre o assunto que tiver rolando (o que vai acontecer em 99% do tempo), apenas para garantir espaço e se aparecer. Uma dica é vc deixar as paginas que você acessa abertas o tempo todo e ficar dando F5 de 2 em 2 minutos pra atualizar – como muito FDP faz por ai que eu sei.

4 – Assuma uma atitude – assim como na escola, no trabalho ou na sua turminha a Internet também é um meio social (ou pelo menos emula ser) e no caso de algumas pessoas é o único meio social existente. Então como na sociedade real que tem gente de tudo que é tipo – pessoas serias, engraçadas, mau humoradas, escrotas – a sua persona virtual também tem que ter uma característica pela qual vão te identificar e assimilar – apesar de eu não saber porque de a maioria resolver bancar o escroto, talvez de menos trabalho ou por mais se aproximar da sua realidade, sei lá…

 

5 – Puxe o saco – mas puxe muuuuuuuuito mesmo. Lembre-se que você esta começando de baixo. Você não é uma sub-celebridade da net ainda. Ao entrar nos sites, páginas e grupos dos outros, você vai ter que se submeter aos desmandos, pitís, frescurites do pessoal que manda por lá, não vai ter jeito. Esporros serão freqüentes e vc vai ter que levar na esportiva, afinal você esta lá de favor. Lembre-se que o dono e/ou moderador da comunidade sempre tem razão, ele é a autoridade máxima na bodega da comu que vc faz tanta questão de participar. Ele é magnânimo, seu benfeitor e vc têm que lhe beijar a mão – e outras partes se ele assim lhe pedir (ou mandar).

6 – Minta pra caralho – Já basta  ser um perdedor na vida real. Você também não vai querer ser conhecido como um na internet. Ao comentar sobre sua vida de merda pros seus miguxinhos nas paginas que você acessa diariamente e nos grupos que frequenta, sempre diga que está no trampo (o que o pessoal mais diz por ai é que são jornalistas, publiciOtários ou que tem algum cargo muito do fodão numa grande empresa), com os pés em cima da mesa e q você é o picudo de lá. Pague uma de playboy ostentação, de comedor e de inteligente. Nunca deixe transparecer o loser,vagabundo e burro que você é de verdade.

7 – Sempre saia por cima em alguma discussão – em discussões e bate bocas virtuais sempre é comum qualquer assunto virar um verdadeiro embate filosófico e intelectual – mesmo que travados na sua maioria por nerds punheteiros ou analfabetos (des) funcionais ou merdinhas pomposos metidos a especialistas de tudo – e esses embates devem ser encarados como verdadeiras batalhas de honra, de vida ou morte (quase um Mortal Kombat da vida real virtual) que devem ser vencidos a qualquer custo – então, quando você não souber alguma coisa, não tiver o menor conteúdo ou embasamento (acredite, isso vai acontecer MUITO) ou tiver com uma resposta atravessada, seja rápido no clique, animal – esteja sempre esperto com a aba aberta no Google ou na Wikipedia: eles serão suas principais fontes de conhecimento e suprirão seu arsenal de falácias vazias sempre que algum outro retardado tentar colocar a sua pseudo-intelectualidade em xeque.

Basicamente é isso: vá conhecendo gente que conhece gente que conhece gente ate que um dia você vai ser gente. Ai você vai ter conseguido o seu objetivo: ser pajeado por uns 5 ou 6 desconhecidos conectados que vão dizer sim pra qualquer merda que você disser – um bom exemplo disso tudo que eu to falando pode ser visto aqui acesse a parte dos comentários e confiram até onde vai o baixo nível dessa corja – mas, esse é só um exemplo, tem vários muitos outros tão baixos ou até piores.

Pra fechar, enquanto ainda tem alguém com paciência por aqui (e tem???):

Apesar de falar esse monte de besteira acima usando um blog, esse não é e nunca foi o nosso único intuito. Não… Criamos o Contra para ser um portal de  divulgação de alguns vários e diversos trabalhos que ainda verão a luz do dia (algum dia) e para soltar algumas idéias, umas criticas pesadas, uma zoerinha de leve (mas só em quem realmente merece), umas besteiras, umas coisas boas e úteis e pra preparar pra alguns projetos futuros nos quais estou trabalhando no momento e que vão ser revolucionários (pode acreditar!), tudo isso, desde um ponto de vista o mais sincero, ácido e e autêntico que pudermos.

 

Falamos o que quisermos, sobre o que quisermos e com toda liberdade que quisermos e isso é uma coisa rara de se encontrar na internet hoje em dia, em que todo mundo é polido, vendido e comprometido mais em fazer média promovendo o câncer da hipocrisia do Politicamente Correto que falando a verdade – se não a verdade absoluta, mas, a nossa verdade, a verdade que acreditamos com toda a veemência de nossos corações (pode ter parecido coisa de retardado isso, mas, é a mais pura… verdade) e esse é o nosso grande diferencial em relação à todo o resto dessa corja, principalmente esses que tratam sobre entretenimento e cultura pop em geral aqui no Brasil – apesar de também tomarmos a liberdade de falar sobre outras coisas.

Aqui não tem desmando nem piti e nem frescurite de qualquer tipo. Só troca de ideia com argumentos e com respeito, uma conversa sadiiiiiiiiiiiiia desencanada e sem nenhuma pretensão, além de mandar a real e provocar reflexão, mas sempre com muito conteúdo, bagagem e embasamento pra chacoalhar a cabeça um pouco e todos serão bem vindos e sempre com respeito à opinião alheia, independente de se concordar ou não com os respectivos pontos de vista, mesmo que você queira jogar um sapato na minha cara – o que acho meio difícil de acontecer, um sapato atravessando uma tela de computador… Mas, se a gente parar pra pensar, do jeito que as coisas estão indo, isso não é nada impossível de acontecer um dia – mas, não exatamente agora.

Então, o mais provável de acontecer caso alguma coisa que dissermos aqui te deixar puto (ou puta ou putx) de raiva é que você nos mande algum comentário mal educado, o qual será devidamente respondido em espécie ou se descontrolar e jogar o seu celular ou monitor pela janela…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s