Enquanto a humanidade existir, haverá racismo e vice-versa

É meio que senso comum que ao manusear alimentos para dar à terceiros, recomenda-se fazê-lo usando de luvas para evitar o contato direto, ajudando assim a evitar a contaminação dos mesmos. Isso é procedimento padrão em restaurantes públicos, escolas, hospitais, etc… Mas, como Justiceiro social é uma corja de vagabundos que não porra nenhuma pra fazer, até mesmo as práticas de higiene e segurança alimentar tornaram-se alvo de sua incansável e tediosa “problematização”que nunca leva a lugar algum… A mais nova vítima da Inquisição “anti-racista”  foi a atual ‘Miss‘ sul-africana, por cometer o crime hediondo de usar luvas ao entregar comida para algumas crianças em uma ação beneficente num orfanato em seu país.

“O que era para ser uma simples visita de uma miss a um orfanato transformou-se numa polémica que está a correr o mundo. Demi-Leigh Nel-Petersmiss sul-africana, usou luvas durante a visita que fez ao orfanato Orlando West Community Centre Ikageng, de Soweto, em Joanesburgo, na África do Sul, e as fotos do momento estão a gerar revolta nas redes sociais.

Os funcionários do orfanato desvalorizam a atitude de Demi-Leigh Nel-Peters e descrevem  como “ridícula qualquer insinuação” da miss ser “racista”. “É claro que ela não usou luvas por não querer tocar nas crianças negras”, afirma Carol DyantyI, porta-voz do orfanato, à BBC. De acordo com a mesma fonte, as luvas foram apenas uma medida de higiene usada por Nel-Peters para dar comida aos órfãos. “Pedimos que ela e todos os outros voluntários usassem luvas para manusear a comida”, contou durante a entrevista, adiantando que esta medida foi tomada “puramente para proteger as crianças do risco de comida contaminada“.
 
Críticas nas Redes Sociais Milhares de internautas criticaram Nel-Peters no Twitter e noutras redes sociais. Muitos acusaram a miss de usar luvas “porque não queria tocar em crianças negras” e partilharam imagens da sul-africana a abraçar cães e crianças brancas sem luvas. Nel-Peters também já reagiu à polêmica. Num vídeo partilhado na sua conta oficial de Twitter, a miss diz que usou as luvas apenas por razões sanitárias e negou qualquer componente racial nas suas atitudes.
Bonito, muuuuuuuito bonito… Aposto que se a ‘miss‘ não tivesse usado luvas, haveria uma caralhada de SJW vagabundo (redundância) a chamar-lhe de racista do mesmo jeito, porque “dar de comer às crianças negras sem usar luvas é por em risco a saúde delas! A inquisição “anti-racista” é assim mesmo: condena igualmente, seja pelo excesso ou pela omissão.
Em todo caso, a verdade é que a moça foi bastante ingênua! É preciso ter noção daquilo que eu chamo aqui de ‘inquisição anti-racista’ ou melhor dizendo, os Black Hitlers. Como bons guerreiros da justiça social, os ‘antirras’ estão sempre à procura de pretextos para atacar os brancos. E como esta notícia bem ilustra, qualquer coisinha por mais idiota que seja, já serve para oportunista filha da puta vagabundo querer jogar os brancos na fogueira.
Como sempre digo por aqui, SJW não é solidário nem no câncer e o mau-caratismo dessa corja não tem limites. Atacam uma pessoa que dispôs do seu tempo e boa vontade para praticar uma ação de caridade, coisa que eles mesmos não fazem. Esses filhos da puta ainda tem a cara de pau de se arrogarem como monopolizadores das virtudes por passarem toda sua vida medíocre fazendo textão no Facebook e perseguindo qualquer um que lhes incomode, usando das táticas mais rasteiras e nojentas que existem, como calúnias e assassinato de reputações.
E quando os alvos habituais se encontram escassos, eles começam a se devorar por dentro e atacam a si mesmos, como mostrei bem no post sobre o “racismo” no movimento LGBTTQ, no qual fica bem evidente que quem praticou racismo no caso foram aqueles que acusaram em primeiro lugar. Essa história da ‘miss’ é a mesma coisa: pois qualquer um com um mínimo de atividade cerebral admite que a moça não é branca. No entanto, essa mestiça é invejada lá por ser mais bonita e atraente que os lixos humanos que se mobilizaram a queimar o filme da coitada.  A defesa da representatividade é só fachada pra essa corja hipócrita. O que eles querem apenas é estar por cima e se imporem, mesmo que pra isso tenham que pisar na cabeça de seus semelhantes e usam desse discurso barato de “combate ao racismo” e pró-diversidade” apenas pra justificar sua canalhice, sua hipocrisia e o seu preconceito.
Essa é uma das razões pelas quais será sempre impossível erradicar o “racismo” no mundo: sabemos que mesmo no seio das comunidades negras, os negros discriminam-se uns aos outros em função da… Cor da pele! Os negros mais claros tendem a preferir outros negros mais claros e os homens negros mais dominantes tendem a preferir as mulheres negras mais claras. O que significa que, mesmo quando toda a humanidade tiver sido miscigenada, sempre continuará a existir alguém que seja considerado “racista”. E por causa dessa banalização do que é “racismo” – em que tudo o é – o ódio e o preconceito continuarão a existir, enquanto existir a humanidade…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s