A Revolução Anal

É mais do que notório, desde Karl Marx , que por sinal teve como tese de doutorado a filosofia de Demócrito e Epicuro e viveu – assim como Engels – uma vida desregrada e boêmia, que o materialismo esquerdista não é só o fruto de uma doutrina filosófica abstrata, mas a cosmovisão que mais condiz com seu estilo de vida hedonista, interesseiro, invejoso, egoísta e cobiçoso. Portanto, embora como Platão entendia, os ateus poderiam ser diferenciados entre os virtuosos, que deveriam ser apenas encarcerados, e os sem virtude, que deveriam ser executados sumariamente, não se diga que é coincidência que pessoas materialistas filosoficamente, são também materialistas no sentido mais vulgar e negativo da palavra.

Quanto mais o tempo passa, porém, mais baixa a esquerda fica. Fica evidente como essas mulherzinhas esquerdistas se tornaram prepotentes depois da revolução sexual. Afinal de contas, essa foi a única revolução da qual as mulheres realmente participaram em peso, e é natural que agora arroguem a si mesmas muita autoridade, pois “trabalharam” muito de lá pra cá, e por mais promíscuas que sejam, não é fácil conciliar a prostituição, as drogas, os abortos e eventualmente algum estudo de gênero.

A esquerda deixou tudo de lado. Não há mais forças produtivas, propriedade, filosofia econômico-política, depauperação dos trabalhadores e etc. Não há mais credibilidade nem legitimidade também, é claro. Contudo eles tem um trunfo, “Pelo menos a esquerda transa”. Muitos não transam de fato – não atoa fazem oficinas de masturbação – mas que importa? O prazer solitário é sexo também, o prazer gay é sexo, qualquer coisa é sexo.

O que ela quer dizer é “pelo menos temos prazer”, e como para um bom hedonista o sentido da vida é ter prazer, sua vida certamente é plena de sentido. E como tudo que da prazer é bom, jamais se sentiria ofendida pelo seu prazer em tomar na bunda.

Mas não fica por ai. Para a esquerda dar a bunda vai muito além do prazer, é uma convicção ideológica. Sim, sabemos a importância ideológico-política – e até espiritual – que o cu tem pra esquerda. Sem me deter muito nisso, dentre outras coisas, consideram o cu igualitário por ser “universal”; a obsessão escatológica, o juízo invertido e pervertido que apregoa o valor da merda, do feio, do podre e do que não presta; a subversão da natureza, e afinal, sendo um ato estéril, é completamente preferível pra eles, já que não são adeptos da vida, mas da morte.

Essa é uma figura bem emblemática para nos dizer oque é a esquerda. Ora, poderia oque foi dito te-la ofendido? A esquerda é aquela que se fode mas que definitivamente se diverte com isso, gostam mesmo é de se foder. Quer aprender o jeito como a esquerda lida com os problemas? É simples, não importa a grossura da taca e sim se você se acostumou ou não, pois pra eles os olhos já não veem oque as pregas não sentem.

Sim, os SODOMITAS voltaram, e estão furiosos. Voltaram para se vingar pela destruição de sua cidade. Está certo quem pensa que o cenário é bundesco… digo, dantesco. E poderia ser descrito com titulo de filme pornô/trash/queer. Trata-se da revolução anal, da revolta cuzista, a rebelião esfincteriana, o ataque das bundas assassinas, o apocalipse bundeiro. É Gomorra e Sodoma, em suas passeatas de vadias e de orgulho gay, que marcha contra a civilização e contra os justos que um dia escaparam de seu destino de ontem e de amanha, o destino do fogo e extermínio total.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s