Entrevista do CONTRA: Eduardo Schloesser

(*) Com colaboração de Adriano Imperador

O desenhista Eduardo Schloesser  é uma das maiores referências no Brasil quando se trata de desenho anatômico. Suas maiores influências são os mitos Bernie Wrightson e Richard Corben, cada qual, um mestre no seu estilo de desenho. Em 97, Schloesser produziu o álbum Zé Gatão – uma graphic novel independente com personagem de sua autoria, que anos depois foi relançado pela editora Via Lettera com melhor acabamento gráfico. Eduardo segue colaborando com outras editoras, como a Escala, emprestando seu traço realista a vários tipos de publicações, principalmente revistas com dicas para desenhistas evoluírem seus traços. Ele também é um cara de opiniões  particulares bem fortes e sem rabo preso, assim como a gente, o que pode ser visto na entrevista abaixo, a qual ele cordialmente nos concedeu: Continue Lendo “Entrevista do CONTRA: Eduardo Schloesser”

The Wall: A HQ de Peter Kuper, Que Previu O Presidente Trump (E O Muro) 26 Anos Atrás

2550

O quadrinista Peter Kuper (MAD, Spy vs. Spy, The System) fez em 1990, para a revista Heavy Metal uma história curta em que num exercício de futurologia, previu um evento que viria acontecer 26 anos depois: a eleição de Donald J. Trump a Presidente dos Estados Unidos da América. E também, o muro proposto por ele, o que é mais impressionante ainda. Mesmo que na HQ, a muralha servia para dividir a Cidade de Nova York, sendo um lado para os ricos e outro para os pobretões.  E mais: assim como na promessa de campanha de Trump, na história, quem paga a conta são os pobres! E ainda dizem que o Trumpaço é totalmente imprevisível…

Continue Lendo “The Wall: A HQ de Peter Kuper, Que Previu O Presidente Trump (E O Muro) 26 Anos Atrás”

Frank Cho e Milo Manara CONTRA a Hipocrisia e a Ditadura Feminista Nos Quadrinhos

Até mesmo o  bazingueiro mais seboso e fedido, que começou a ler gibi semana passada deve ter algum conhecimento de que Frank Cho é um desenhista  muito talentoso e polêmico. E isso, não  porque ele é um artista ruim ou que os fanboys odeiem seu trabalho, muito antes pelo contrário. É porque os guerreiros da justiça social (SJW, também conhecidos como “idiotas da internet”) se ofendem com seus pontos de vista irreverentes contra  a praga do Politicamente Correto e sua  oposição veemente à censura política, sobretudo nas artes. Já falamos disso algumas vezes por aqui, de como o Mito Cho chamou a atenção de forma negativa desses idiotas e desocupados,  e vem sendo constantemente alvo de linchamentos virtuais, pelo simples fato de ele fazer o seu trabalho como foi devidamente consagrado: desenhando mulher gostosa. Continue Lendo “Frank Cho e Milo Manara CONTRA a Hipocrisia e a Ditadura Feminista Nos Quadrinhos”

American Splendor: Como Era Uma Merda Ser Um Merda Antes Do YouTube

O finado quadrinista Harvey Pekar era um loser. Ponto. Vivendo uma vidinha de merda no cu de Cleveland, EUA em meados dos anos 70 e totalmente consciente disso, Pekar resolveu pegar toda aquela… merda e tentar fazer daquilo algo útil ou positivo que seja. Bem, na falta de possibilidades, acabou por fazer um gibi. Um gibi de si mesmo, da sua rotina entediante e sacal e das pessoas escrotas que conhecia. Coisas do dia-a-dia… que não interessavam à absolutamente ninguém. Hoje em dia, pessoas na sua situação e sem conteúdo algum optam por virarem youtubers fazendo vídeos constrangedores relatando sua vidinha patética e sem graça, dando suas opiniões medíocres e rasteiras a respeito de qualquer assunto idiota e arrumando tretas por motivos tão fúteis e superficiais quanto todos esses merdas são…  Continue Lendo “American Splendor: Como Era Uma Merda Ser Um Merda Antes Do YouTube”